publicidade

ENTREVISTA: Projeto social é sucesso em Pouso Redondo


Centro de Treinamento de Tênis de Mesa termina o ano com cerca de 50 crianças e adolescentes atingidos


Escrito em 29/12/2012


Durante a temporada que chega ao fim nesta segunda-feira (31) um projeto chamou a atenção na cidade de Pouso Redondo. Paralelo ao poder público e com poucos recursos, a iniciativa do voluntário e idealizador Vinícius Grünfeldt, que profissionalmente atua com integrador esportivo no Serviço Social do Comércio de Rio do Sul, deu mostras de que o simples pode render bons resultados.

Em pouco tempo, após o início em 2007 quando Grünfeldt atuava como diretor de esportes na cidade e a partir de 2009 de forma voluntariada, o projeto soma medalhas, revelação de talentos e, principalmente, a formação de jovens com desenvolvimento de valores sociais. Assim, a atividade realizada no chamado Centro de Treinamento de Tênis de Mesa já atinge mais de 50 crianças e no currículo de alguns atletas as competições da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) já estão presentes.

ABAIXO VOCÊ PODE CONFERIR MAIS NOVIDADES DESTE IMPORTANTE PROJETO EM UMA ENTREVISTA FEITA POR E-MAIL COM VINÍCIUS GRÜNFELDT:

EAV: Como surgiu a ideia de criar o projeto?
- Em 2007, quando eu ainda era o Diretor de Esportes em Pouso Redondo, tinha a intenção de oferecer modalidades diferentes das já tradicionalmente oferecidas como Futsal e Voleibol. Queria atender perfis diferentes, uma demanda que não praticava esporte porque não havia uma variedade de modalidades. O Tênis de Mesa foi a opção mais forte pois exigia um investimento inicial baixo e já contava com os praticantes do "ping-pong" nas escolas. Como nenhum professor quis assumir, tomei a iniciativa, mesmo sem maiores intimidades com as regras e a técnica. O trabalho foi um sucesso, com mais de 100 crianças e adolescentes entre 2007 e 2008, período em que também realizamos dois festivais na cidade, um deles com a presença do Hugo Hoyama.

EAV: Durante o ano, o projeto atingiu quantas crianças? Ficou dentro do esperado?
- Desde o início de 2009, quando deixei a Prefeitura Municipal, o trabalho vem acontecendo de maneira voluntária e apenas no período noturno, o que reduziu o número de praticantes atendidos, infelizmente. Porém, em 2009 eram 20 atletas e em 2012 terminamos atendendo mais de 50 atletas. O projeto só não cresce mais em função do meu tempo reduzido, já que concilio com a minha atividade profissional.

EAV: Quais competições os atletas participaram e os melhores resultados?
- Participamos anualmente das competições da FESPORTE e dos Festivais do SESC Rio do Sul. Em cinco anos de existência, conquistamos o 6º lugar por equipes feminino na OLESC de 2011 (Tina Scoz, Júlia Borba, Pâmela Bizolo e Mariana Munaretto), o 5º lugar por equipes nos JESC 12 a 14 anos masculino (Leonardo Conte e Tiago Schaefer), o 6º lugar individual feminino nos Joguinhos Abertos de 2012 (Tina Scoz) e o 5º lugar individual feminino nos JESC 15 a 17 anos (Tina Scoz). A Tina Scoz também venceu as categorias Infantil e Juvenil dos Festivais do SESC. Atualmente, no naipe feminino, estamos entre os dez melhores do Estado.

EAV: O objetivo social do projeto também foi alcançado?
- Na verdade o trabalho parte do objetivo social, que é gerar valores e cidadania. Como contamos com um apoio muito restrito e temos uma boa parte dos atletas treinando há bastante tempo, o projeto passou a ser tratado internamente como uma causa, o que proporciona um comprometimento e uma consciência entre os participantes da necessidade de iniciativas como esta para o avanço da sociedade local. O surgimento de talentos e os resultados no aspecto do rendimento são consequência da oferta da modalidade.

EAV: O que ainda precisa evoluir no trabalho que está sendo realizado?
- Atingimos um ponto difícil na caminhada que é a necessidade de estrutura. As mesas e o espaço onde treinamos estão defasados e os recursos para competirmos também são escassos. O apoio da Prefeitura Municipal é pífio e até as bolinhas são adquiridas com recursos dos próprios atletas. Mas sempre que eu imagino termos alcançado o limite de nossas possibilidades, o empenho dos envolvidos aumenta ainda mais, por isso permanecemos otimistas.

EAV: Expectativa para o próximo ano em nível de participação em torneios?
- Nossa intenção é participar dos eventos da FESPORTE e de todas as etapas dos Festivais do SESC Rio do Sul. A intenção é conquistar medalhas nas competições catarinenses num prazo de cinco anos. Também pretendemos conquistar três categorias dos Festivais do SESC.

EAV: Vocês pretendem aumentar o número de crianças atingidas com o projeto? Existe alguma meta?
- Minha preocupação neste momento é estrutural. Temos a intenção de nos próximos cinco anos atender 150 atletas e conquistar medalhas nos eventos da FESPORTE e estas metas e objetivos precisam de uma sustentação básica. Precisamos de mesas, redes, bebedouro e de recursos para competir. Em 2013, os esforços serão direcionados principalmente nesse sentido.

EAV: Para fechar, é claro, um espaço para os agradecimentos para quem apoia este o projeto?
- Atualmente, contamos com o apoio da LZK Contrutora, do Rotary Club de Pouso Redondo e do Sr. Gabriel Del Castagné.

EAV: Algo mais que você gostaria de destacar?
- Quero agradecer a oportunidade de poder divulgar os trabalhos do Centro de Treinamento de Tênis de Mesa de Pouso Redondo num portal criado com tanto cuidado e que é referência nas informações do esporte do Alto Vale. Quero aproveitar e mandar um carinhoso abraço também aos atletas do C.T. que sem dúvida formam minha segunda família.

Veja as fotos:

Parte da turma de participantes do projeto (Foto: Divulgação) Tina Scoz, uma das revelações

PUBLICIDADE

Publicidade
Publicidade
Publicidade